quinta-feira, 19 de maio de 2011

zona de conforto

Pode pensar em tudo que é bom e seguro que é esse lugar ai mesmo - a zona de conforto!
Na vida profissional se trata de desenvolvimento pessoal. Muitas vezes precisamos sair do lugar que nos é confortável, isto é quando a situação permite ou até mesmo exige.
O que se ganha com isso? Crescimento, novas aprendizagens, mais experiencia.
Mas muitas vezes também não é fácil, pois é necessário que, no aprender novas funções ou mesmo exerce-las, enfrentemos dificuldades, pois como o próprio nome diz, "sair da zona de conforto".
Quando sai da minha zona de conforto pela primeira vez, foi quando aceitei ser garçonete em Londres e com esta função fui descobrindo oportunidades, mas que exigiriam de mim lutas diárias com minha dificuldades e medos.
Eu achava que não ia dar conta, que seria desajeitada...Mas fui excelente em minha função, amei o que fiz e com este trabalho fui crescendo na empresa, e cada vez mais tive que sair de uma zona de conforto. Exemplo: quando a vida estava bem fácil sendo garçonete, vieram os cursos e com isso entrei no treinamento.
Hoje, sempre que eu penso, "não vou conseguir fazer determinada coisa", automaticamente meu pensamento me leva a pensar em desafios e estes com certeza me levam a crescer.
E voce, quais são as suas zonas de conforto?

segunda-feira, 9 de maio de 2011

suposições


Esta palavra eu já conhecia há muito tempo, mas fui entender seu siginificado quando morei em Londres por causa de um amigo que vivia me falando isso (assumption).
Como eu estava sendo desenvolvida a um cargo de liderança, muitas vezes me sentia mal por pensar que "o fulano não gosta de mim", "olha como tal pessoa me trata", e com isso muitas vezes me retirava da relação com as pessoas em questão.
Ok podem existir situações reais, mas reclamar e viver baseado no que se pensa e acredita, não é a solução.
Como eu sempre reclamava a este amigo, que era um dos responsáveis pelo meu desenvolvimento, ele sempre me dizia isso, é suposição! E claro eu queria me defender, arranjando desculpas e explicações para ficar com minha verdade.Mas minhas verdades me levavam para um caminho chamado "quebra de relações".
A pergunta seguinte seria: Baseado em que? Ai então eu não tinha mais defesas, pois vi que estava baseada no meu próprio pensamento.
Isso deve ser muito comum nas empresas, relações com amigos, na vida escolar, ai então podem surgir as fofocas, onde a pessoa que se sente vítima acaba buscando aliados para suas próprias percepções.
Este tipo de comportamento  e atitude devem ser evitados em nosso dia a dia, pois nos lideram a um comportamento anti social, por que vamos assumindo verdades que são apenas nossas e não damos ao outro o direito de estar chateado em um dia, com problemas pessoais e  muitas vezes também poderá ser o jeito que ele aprendeu a se comportar não significando que ele não goste da gente  "não  foi com nossa cara."
São os famosos problemas na comunicação.
Vale muito mais a pena insitir nos relacionamentos em questão, continue a ser voce mesmo sem destruir a relação por estar baseado em suas próprias percepções.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

objetivo no curriculo

Este artigo foi extraido do blog - Emprego Virtual -  por se tratar de uma parceira entre o Perdidos e Achados e o blog Emprego Virtual. Como eu já havia postado anteriormente sobre perfil profissional e curriculum, creio que este post pode ajudar voce que está em busca de uma colocação no mercado de trabalho.
 Já tratamos aqui da primeira parte do currículo: dados pessoais. Pois agora vamos para a segunda parte, que deve vir logo abaixo dos seus dados.

O campo "Objetivo" é onde você coloca por qual motivo você está enviando aquele currículo. Obviamente, você envia para conseguir um emprego, mas ainda assim, dentro do documento que você está construindo, o recrutador deve ser qual é o seu foco, o seu objetivo na área profissional. O recrutador tem uma lógica muito simples: ele espera que o objetivo do candidato (que está escrito no currículo do candidato) seja exatamente a mesma coisa que a vaga propõe a oferecer a ele ou, pelo menos, algo bem próximo. Ele não está interessado em um objetivo nobre e idealista, com frases bonitas - ele quer alguém que se encaixe na descrição da vaga, para terminar logo com essa seleção e passar à próxima.

O que ocorre muito por aí é que as pessoas gostam de colocar um texto de umas 3-5 linhas dizendo um monte de baboseira, achando que vai conquistar o o coração de quem lê o currículo. Errado! Hoje em dia não se usa mais a besteira de ficar escrevendo linhas e linhas de quer "atuar de maneira produtiva", "crescer com a empresa", "dividir experiências conquistadas" e assim por diante. Ao criar sua frase para essa seção do currículo, muita gente acha que está abafando… quando na verdade está jogando fora o tempo do recrutador!

Portanto, para terminar, vamos aos certos e errados do campo "Objetivo"!

O que é certo?
  • Ser curto e claro;
  • Dizer em qual cargo quer trabalhar (Exemplo: "Auxiliar administrativo");
  • Se não tem um cargo específico, dizer em qual área quer atuar (Exemplo: "Atuar na área de telecomunicações"/"Atuar nas áreas de informática e telecomunicações");
  • Se estiver em dúvida, pule esta etapa.
O que é errado?
  • Colocar objetivos pessoais da vida;
  • Dizer que quer crescer profissionalmente ou então que deseja dividir experiências ou qualquer outro texto;
  • Escrever de forma generalizada;
  • Dizer que quer atuar "em qualquer área do ramo", ou seja, "atirar para todos os lados". 
Imagine que você, meu caro e esperto leitor desempregado, é um profissional de Recursos Humanos. Você, que tem inúmeras tarefas para fazer, vai perder tempo lendo 100 currículos com a mesma coisa dentro? Vai ler 100 vezes que as pessoas querem "crescer na empresa", "dividir experiências", etc? Então isso realmente dificulta muito o trabalho do recrutador, o que faz com ele ou ela te descarte de imediato.

O campo "objetivo" no seu currículo não é o que vai te garantir uma vaga de emprego, mas sim o que vai te conquistar mais um "ponto" com o recrutador. Se o recrutador tem uma vaga na área de vendas, por exemplo, e você é um promotor de vendas ou então um assistente comercial, então isso faz com o que os olhos do recrutador brilhem! Aí sim ele(a) vai pensar "Vale a pena ler esse currículo até o fim".

Leia também os outros artigos quanto ao assunto: Foco do currículo: Objetivo e Primeiro emprego: Como fica meu "Objetivo" no currículo?.

domingo, 17 de abril de 2011

a persistencia

É uma luta.
É um desafio quando no desempenho de alguma atividade e nos deparamos com as dificuldades e ai se apresenta o desejo de  desistir. Obstáculos surgem, mas em nome de um objetivo a ser vencido é que continuamos.
Mas não é fácil abrir mão da desistencia, pois é ai que encaramos aquilo que nos é dificil. Da agonia. É ruim olhar para aquilo que não sei ou no momento não consigo fazer.
Superar obstáculos é tarefa árdua. É olhar de frente para aquilo que "não sou boa" ainda, mas a persistencia ganha o nome também de aperfeiçoamento, é o estágio para perfeição. E isto leva tempo.
Também se deve exercer a paciencia neste momento e acreditar no meu objetivo, aonde quero chegar, pois sempre temos um preço a pagar. Encarar nossas dificuldades. E treinar, e muito!
Neste momento preciso re siginificar a persitencia como sonho realizado.

domingo, 10 de abril de 2011

sobre se perder


No sentido de levar alguns sustos, tropeções, pancadas da vida.
Esta semana creio que para o brasileiro considerado gente, foi dificil, triste.
Choramos com as familias do Rio de Janeiro. Estamos na torcida e desejando que eles fiquem bem, sejam fortes. Que Deus traga o consolo!
Fica dificil levantar. Eu to me sentindo perdida! Fiquei triste, chorei e oro por eles.
Nesta semana que passou também estive com minha mãe recordando meu pai que hoje completa 1 ano de sua partida. Muitas lembranças, fotos, conversas, lembrando onde estávamos há um ano atrás...
Ontem também passei por uma situação muito desagradável, mas com gente viva! 
O pior é ser maltratada por pessoas que são beneficiadas por minha familia, e estão vinculadas a nós, mas se excluem e nessa de se excluir pensam que podem tratar as pessoas mal, desconsiderar.
Eu ainda nãe sei bem em nome do que não reagi, talvez em nome de uma educação rígida, me calei e me retirei sem me defender. Parece que elas saem vitoriosas, mas sei que lá na frente elas vão sofrer as consequencias disso.Ontem pareceram vitoriosas, mas suas atitudes já são de perdedoras, pois precisam ferir um outro, sem considerar para poder se sentir.
O que vale hoje é estar bem comigo mesma. Outro dia assisti na TV uma profissional da saúde mental dizer que os desgates humanos, as brigas, descargas de raiva trazem um maleficio enorme as pessoas que explodem ou manifestam esses sentimentos.
Eu lembrei deste documentário na hora, mas eu tremia e chorava e era raiva.
Precisei conversar com alguém de minha familia e saber como agir, e uma de minhas irmãs me segurou e atendi a seu conselho. Permaneci quieta. Quis ler algo sobre, cheguei a colocar uma pesquisa em minha página no facebook pedindo a opinião das pessoas frente a pessoas mal educadas, não obtive muitas respostas, mas as que recebi me ajudaram a ver que estou numa posição superior. O silencio e a retirada.
Dale Carnegie diz " A única forma de vencer uma discussão é evitá-la."
Creio que me senti perdida ontem por todas as coisas que aconteceram nessa semana. Da um sentimento de "estamos perdidos". E ai pela desorganização interna não consegui escrever e nem pensar. Escrever me ajuda muito! Alias a escrita é um fator organizador.
Quis pensar no meu pai e lembrar de coisas boas, tentei me concentrar em minha nova fase da vida, lembrei demais da minha infancia, fui buscar lá no passado, não através de fotos, mas de minhas memórias, aonde estive, e quando eu encontrei a menininha que fui, talvez o mais longe que consegui ir foi aos meus 4 anos e aí vim viajando com ela por essa minha vida e vi que tenho meus valores e que momentos dificies como esse que se sucederam nesta semana fazem parte de nossas vidas.
Lidar com gente ruim também faz parte da vida, mas somos mais fortes do que eles. Embora algumas vezes quando nos deparamos com situações como essa nos causem um mal estar, nos sentimos pra baixo, como derrotados, pois somos impedidos seja por uma educação, situação, ou até mesmo a força que temos de não ir em frente em discussões desnecessárias e não nos colocar na mesma situação da provacação. Só isso já é muito forte, é ser muito forte! É o famoso "não dar corda" a eles, pois é isso que querem pois tem baixa estima, precisam provar que são fortes através de grosserias e ainda acham que isso é bonitinho e chique! O que dizer a pessoas assim?! Nada, pois não vão entender, não tem bagagem emocional para tanto, não tem boas referencias para se espelhar. Só ai eles já são perdedores. Aliás posso até dizer mais perdidos que achados! E nós que já nos encontramos, que sabemos quem somos, sempre temos saida, enquanto eles para se encontrar, se um dia isso acontecer, vão precisar reconhecer que erraram, e aí tem um preço, e muitas vezes alto, pois arcar com as consequencias de atos muitas vezes impensados...
Para nós que sofremos algum tipo de agressão seja ela física ou verbal, o importante nessa hora é manter o foco, naquilo que voce, eu somos, em nossas referencias e objetivos e principalmente em nosso bem estar. Nos permitamos a chorar, ter raiva, mas sem explosões.
Ontem na hora de minha raiva, tentei segurar o choro, mas na hora pensei, segurar pra que? Essa é uma maneira de meu corpo expelir esse sentimento ruim, me reservei, passei o dia pensando e hoje um pouco melhor, triste ainda, mas melhor...começo a me reorganizar.

"Se a gente cresce com os golpes duros da vida,
também podemos crescer com os toques suaves da alma."
 Cora Coralina 

quinta-feira, 7 de abril de 2011

desafio


Parece pouco, as dois minutos na frente do cmputador so vendo e ouvindo sem tocar no mouse!!!!
Foi bom pra refletir e ver tudo que já passei e que venho passando.
Tempo só meu onde me entreguei as minhas lembranças e pensamentos.
Ai de repente 2 minutos é pouco!
Tente voce também. Fazer nada por 2 minutos!
do nothing for 2 minutes

sábado, 2 de abril de 2011

talentos

Muitas vezes quando vemos artistas representando com suas belas interpretações nos levam a dizer e ou pensar "poxa, ele(a) tem talento!"
Mas nós também temos talento! E não precisamos estar num palco, mas podemos sim estar "debaixo de um holofote" quando sabemos usar nosso talento.
Cientistas acreditam que talento é a habilidade que mostramos desde o nosso nascimento, isto é já viemos com ele e no decorrer de nossos anos vividos vamos desenvolvendo e aperfeiçoando nossas habilidades.
Talento é o que nos diferencia de outros. É aquilo que desempenhamos com facilidade e naturalidade e que outros não conseguem desempenhar com facilidade ou muitas vezes até nem desempenham. Portanto, é nossa inclinação natural para desenvolver algo.
Agora será que conhecemos nossos talentos?
Ainda seguindo o raciocinio dos estudiosos do comportamento humano e das inteligencias, se não usamos nossos talentos estamos perdendo tempo.
Estive lendo sobre talento e alguns até dizem que talento é diferente de competencia.
Podemos ser competentes para muitas coisas e atividades que desempenhamos em nosso cotidiano, mas talento já vem com a gente, e que se colocado em prática, podemos ganhar dinheiro com ele.
Talento é o que nos dá prazer, trabalhamos e não nos cansamos. São as paixões que temos. E tudo que é desenvolvido com paixão mostra também nossa competencia.
Talento não tem haver com inteligencia, pois quando exercemos nossos talentos eles nos diferenciam dos outros, já somos destacados por ele, pois fazemos bem feito e o melhor com facilidade. Será que posso dizer que talento é nossa inteligencia particular?
Quando usamos nosso talento mostramos nossa marca, usamos nossa habilidade natural, inovamos e criamos. Não vemos barreiras, temos soluções!
Nossa marca pessoal é desenvolvida desde que nascemos e vamos construindo o nosso EU. Tem haver com o meu DNA.
Hoje em dia é muito importante reconhecermos nosso talento e coloca-lo em prática, seja em nosso trabalho ou em nossas atividades, isso nos diferencia e nos coloca em destaque.
Caso voce ainda não conheça seu talento, pense naquilo que voce gosta de fazer, essa é a diferença. E ai, pense em como inovar, criar coisas novas. Desenvolva sua marca, sua inteligencia particular! 
Existe um artigo que foi escrito por Tom Peters chamado "a marca chamada voce", que também fala do jeito particular de cada um, aquilo que nos diferencia dos outros e devemos usar isso em nosso beneficio.
Caso queira ler a respeito:

sexta-feira, 25 de março de 2011

tristeza...alegria


Hélio Leites from Cesar Nery on Vimeo.

Hoje me deparei com este video quando visitava o blog Costurando Estrelas!
O assunto abordado completa o tema que está no post abaixo!

escolhas...decisões...

Por que as coisas não podem ser mais fáceis?
O "mais fácil" seria ter apenas uma opção!
O que seria de mim se não tivesse as 2?
Não teria a opção da escolha.
Por que escolher as vezes é tão dificil?
Porque neste momento as duas opções atendem a um pedido.
Portanto, me resta fazer a escolha, mas para isso é preciso pensar, ponderar, levantar prós e contras.
A dificuldade de se fazer uma escolha pode me levar a dúvida, que poderá me favorecer ou não. O que faz uma limpeza nessa dúvida será questionar se as duas opções que me surgem hoje vão me levar ao mesmo lugar, embora hoje elas atendam a um pedido. 
O caminho portanto, será pesar, "colocar na balança"! Nessa hora começa a briga entre a razão e a emoção.
Questionamentos e pensamentos em relação onde cada caminho vai me levar, e se eu fizer a escolha errada? É, quando eu estava na faculdade, já ouvi uma de minhas professoras dizer, na dúvida, não faça escolhas, pois certamente escolhendo, fará a escolha errada.
Um das opções atende a um pedido urgente, mas que quando avaliei os prós e contras, nesse momento ela vai me oferecer algo, mas que não me levará a um crescimento, portanto, vale a pena ficar com esse?
A outra opção, vai me ensinar um novo caminho a atingir meu objetivo, mas leva um tempo maior, e aí, será que este também vale a pena?
Neste caso a dúvida acaba me favorecendo, pois poderando os dois, lembro de que o que mais importa nesse momento é ser feliz, alcançar objetivos e sonhos, e neste caso a segunda opção por mais que me dirija por um caminho mais longo, me oferecerá mais possibilidades.
E ai, como andam suas escolhas?

quarta-feira, 23 de março de 2011

Voce conhece suas aptidões?


Se não conhece está na hora de mergulhar dentro de voce e buscar! 
Aptidão são as inclinações que voce demonstra ter para certas atividades.

O meio em que viveu desde que nasceu, a escola, sua formação, são os fatores determinantes de seu perfil hoje.
É importante descobrir o que gosta de fazer ai então fica muito mais fácil fazer uma busca profissional.
Trabalhar  e ter uma rotina já é pesado, agora imagina estar trabalhando e fazer algo que voce não goste.
Isso além de frustração, também pode trazer doença, pode levar ao stress e por ai vai.
Somando sua formação a experiencias já vivenciadas, é possível descrever e montar seu perfil profissional.
Portanto em vez de atirar pra todo lado durante suas buscas, crie seu perfil profissional e faça buscas mais centradas, naquilo que voce sabe e gosta de fazer.
Escrever um perfil é diferente de ter um Curriculum. Seria muito mais uma descrição de suas aptidões e habilidades. A partir disso sim ai montar seu CV.
Pensei nessa possibilidade, pois eu já tive experiencias que são muito diferentes embora na prática todas me levaram ao mesmo lugar, mas já tive uma pessoa que me entrevistou e ficou confusa e me deu a dica de como reorganizar meu CV. Como eu tenho experiencias diferentes, quando vejo um trabalho que tem o meu perfil e me identifico, mando um CV adequado.
Também é importante definir seu perfil e se conhecer muito bem para não cair em erros como por exemplo: "voce é uma pessoa dinamica, ativa, trabalhadora, não gosta de ficar quieta e ai é contratada por uma empresa onde voce tem que ficar a maior parte do tempo sentada sem fazer muitas coisas." Voce não vai aguentar, vai se entediar rapidamente, e vai cair naquilo que conhecemos como desprazer, podendo te levar ao stress, ou então ter que retornar as suas buscas novamente.
Encontrei alguns testes de aptidão, perfil profissional, caso voce queira se conhecer melhor.
na revista m de mulher e na veja online um teste curioso sobre seu potencial para ficar rico! :) boa sorte!

domingo, 20 de março de 2011

Reflexão

 
Recomeçar

“Não importa onde você parou...

Em que momento da vida cansou...

O que importa é que sempre é possível e necessário ‘recomeçar’.

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...

É renovar as esperanças da vida e, o mais importante...

Acreditar em você de novo.

Sofreu muito neste período? Foi aprendizado...

Chorou muito? Foi limpeza da alma...

Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia...

Sentiu-se só por diversas vezes? É porque fechaste a porta até para os anjos...

Acreditou em tudo que estava perdido? Era o início de tua melhora...

Onde você quer chegar?

Ir alto? Sonhe alto...

Queira o melhor do melhor...

Se pensamos pequeno...

Coisas pequenas teremos...

Mas se desejarmos fortemente o melhor e

Principalmente lutarmos pelo melhor

O melhor vai se instalar em nossa vida.

Porque sou do tamanho daquilo que vejo,

E não do tamanho da minha altura.”

(Carlos Drummond de Andrade)

segunda-feira, 14 de março de 2011

O prazer de ser selecionada!

Persistencia! Uma vez eu disse que "desistir jamais", mas já havia me esquecido de quão dificil é a decepção. Esperar tanto, e nada!
Este fim de semana que passou tive minha experiencia, e foi dolorida. O bom, é que dessa vez já não briguei com o mundo. Me permiti ficar triste, mas logo me organizei. "Se esta oportunidade não deu certo, uma outra dará".
Tenho estudado pelo site do sebrae sobre empreendedorismo e já aprendi que para ser empreendedor, uma das características que a pessoa deve ter é a persistencia!
Para mante-la viva, é necessário que tenhamos foco naquilo que queremos e buscamos como objetivo para nossas vidas.
Assim quando as adversidades vierem, pois elas vem e tentam nos derrubar, é preciso insistir naquilo que voce quer. Não aceite os "nãos" que vierem como resposta.
Se voce ouve um não, bata em outra porta. Tentar enxergar outras oportunidades. A tristeza vai te tirar do foco! Portanto, levante logo a cabeça!
Eu ainda não consegui um emprego, mas como venho pesquisando sobre cursos técnicos, consegui uma oportunidade, um curso sobre Costura Industrial e gratuito. Como vejo que a demanda para industrias da confecção em Londrina tem crescido, busquei me aperfeiçoar para poder concorrer a uma vaga.
Estou muito feliz! O processo está acontecendo.
Acredite! Persita!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Como sair dessa?



Este artido foi escrito há um bom tempo atrás, não sei o que houve, creio que comecei a escreve-lo e simplesmente esqueci de editar e postar. Mas hoje dando uma geral em meus artigos encontrei este post...

Bom, essa foi minha experiencia e pessoas sempre reagem de maneira diferente.
Mas o que realmente me ajudou:
Deus e algumas pessoas que realmente não mediram esforços.
Não é fácil para os dois lados, tenho certeza disso.
De um lado eu que não queria ouvir e nem ver ninguem, e muito menos sair de casa.
E de outro lado pessoas que não se cansaram de me contactar e outras, poucas é verdade, raras, que estavam o tempo todo ali.
Deus - muito importante buscar um apoio, uma Palavra que tenha fundamento. Ler a Bíblia!
Mãe - mães amam!
Terapia ou aconselhamento.
Minha conselheira foi a Elaine e foi muito importante falar, chorar e ser ouvida e também em retorno ouvir falas organizadas. Em meu caso tive uma fala dela que me ajudou muito.
Eu falava de me sentir uma falida, por que tinha perdido minha casa em Londres, minhas coisas, e de volta a casa dos pais, sem espaço definido, a casa sempre cheia, sendo que eu gostava de ter meu canto, tudo limpo e organizado e aqui não tinha isso.
Elaine me colocou o seguinte: imagina que voce está em um navio, agora você é uma naufraga, perdeu tudo! Quanto mais você se espernear mais você se afunda e fica dificil o resgate. Ao passo que se você ficar quieta e esperar, o socorro vem.
Nossa caiu muito bem ouvir isso! Me colocou no prumo!
Valeria: sempre sorridente e positiva. Presente e so hoje vim saber que era muito cansativo ficar ouvindo as historias de Londres. Tudo era Londres, eu não tinha outro papo, mas ela ficou ali quietinha, so ouvindo sem criticar. E tadinha ela ja tinha passado por isso antes quando minhas irmas voltaram de Londres tambem passaram por esses sintomas que passei, e ela tambem estava ali presente.
Atenção amigos que recebem seus amigos que vem de fora, vocês não precisam fazer isso, sejam vocês, se vocês amam seus amigos, com certeza do seu jeito vocês estaram ajudando.
Ana Carla: essa pessoa sempre foi presente, mesmo quando eu estava fora, e mesmo que não tenha tido uma presença fisica constante, mas estava sempre por perto mandando um e-mail, telefonando e inclusive me convidou a participar de um grupo de corridas aqui em Londrina o que me ajudou muito. Atividade física.

Bom, como eu não havia terminado este post, hoje termino dizendo que sou agradecida por tudo isso que passei, creio que já deve fazer quase uns 3 anos que tinha isso em mente, portanto obrigada.
Não vou dizer que to pronta pra outra :) mas aprendi a ser mais forte, a valorizar as pessoas a minha volta e por que não situações adversas. Elas ajudam a gente a crescer!
É bom estar viva!
Reblog this post [with Zemanta]

terça-feira, 8 de março de 2011

O Brasil é o País do futuro - e agora? O futuro chegou!

Sonhar...quesito essencial para quem quer empreender ou mesmo se recolocar no mercado de trabalho.
Tem brasileiro querendo voltar pra casa.
Se eu concordo? Sim. Se fosse há alguns anos atrás eu diria que seria uma loucura, mas hoje o Basil dá provas de crescimento, como por exemplo alcançando um PIB de 7.5% no ano de 2010. Deixando muito País estrangeiro prá trás!
Isso quer dizer que tem espaço, cheguei inclusive a ler reportagens que falam de apagão de mão de obra. O que é assustador para um Pais que está em desenvolvimento.
Sendo assim, o brasileiro tem que arregassar as mangas e estudar, seja um outro idioma, ou buscar cursos técnicos.
Eu mesma, confesso que demorei pra entender esse momento.
Sem estar preparada para este momento, fiquei insistindo em minha carreira até que meus olhos se abriram e comecei a enxergar novas possibilidades, quando o mercado pede profissionais. E ainda diz, "falta mão de obra especializada".
Isso significa que nós que ainda não nos recolocamos precisamos enxergar uma nova atividade que nos de prazer e estudar, investir numa nova carreira, uma nova função ou mesmo se preparar para abrir seu próprio negócio.
Como já mencionei em uma postagem anterior, após ler o blog do headhunter, procurar trabalho dá trabalho!
Então neste post eu decidi colocar todos os links onde voce poderá incluir seu CV e também buscar uma recolocação.
Lembre-se, dá trabalho, seja preciso em seu CV, não esqueça nenhum detalhe, capriche, gaste tempo.
Sugiro até, acorde cedo, faça uma caminhada, na volta se prepare e mãos a obra!
Os que seguem abaixo são gratuitos!
www.curriculum.com.br
www.infojobs.com.br
www.vagas.com.br
www.elancers.com.br
www.tegon.com.br

Um site pago é o: www.catho.com.br mas voce também pode fazer pesquisas de vagas sem poder enviar seu CV logicamente, mas voce pode conhecer vagas em sua cidade ou mesmo fora e pode entrar em contato diretamente com a empresa.

Penso que seja interessante, antes de enviar seu CV, faça uma busca na google sobre a empresa para a qual voce está encaminhando seu CV, leia algo sobre ela e veja se voce realmente se identifica com a empresa e com o cargo em questão.

Caso voce não tenha a formação necessária, recorra a um curso técnico, busque em sua cidade o Senac, Senai ou mesmo outras Insituições. Muitas vezes em seu jornal local, podem haver inclusive ofertas de cursos técnicos gratuitos, fique atento.

Para ver quais os cargos mais dificeis de serem preenchidos: http://www.vidauniversitaria.com.br/blog/?p=72868

E mais, as profissões do futuro até 2015:
1º Engenheiro de Petróleo
2º Engenheiro ambiental
3º Técnicos em produção, conservação e de qualidade de alimentos
4º Ajudantes de obras civis
5º Analistas de sistemas computacionais (TI)
6º Trabalhadores da fabricação de cerâmica estrutural para construção
7º Técnicos de produção de indústrias químicas, petroquímicas, refino de petróleo, gás e afins
8º Técnicos em fabricação de produtos plásticos de borracha
9º Técnicos florestais
10º Técnicos em manipulação farmacêutica

Agora se seu plano ou sonho é empreender, não pense que é só ter capital, muito mais do que isso é necessário pesquisar e estudar, para isso busque o Sebrae. Lá eles também oferecem cursos online e gratuitos.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Empreender seria o caminho?


Embora hoje esteja adapatada ao Brasil, mas tem horas que me sinto sem saida. Sem emprego, quem sabe até um pouco perdida pois já não sei mais o que fazer.
Pensando assim é que decidi, devo abrir um negócio.
Mas o que?
Foi ai que os medos bateram.
Como psicóloga entendo que medos protegem a gente do perigo, mas que perigo seria esse?
De fazer algo errado, de fazer uma má escolha. E ai, por tudo a perder de novo.
Náo é fácil recomeçar do zero. Mas prá isso é preciso preparo, estudar de novo. Sim, estudar de novo, mesmo que seja um curso técnico.
Náo penso em jogar tudo que conquistei até agora pro alto, penso que devo aliar minhas qualificações, com as coisas que gosto de fazer.
Este fim de semana não comprei mais o jornal pra  ver os classificados. Toda semana a mesma coisa, procuro vagas que tem a ver com meu perfil, fico cheia de expectativas durante a semana e nada, nenhuma resposta, nem pra dizer que não me querem.
Então comecei ler mais a respeito e cai num blog chamado headhunter (http://blogdoheadhunter.blogspot.com/). Excelente. E veio de encontro a tudo que venho passando.Me senti mais aliviada. Afinal não sou a única a estar passando por isso, e o melhor foi ler de uma especialista em seleção sobre a realidade brasileira.
Recorri também a um teste vocacional online (http://www.carlosmartins.com.br/testevocacional.htm) onde pude ver claramente pra onde me atirar.
Quando fiz a busca por cursos técnicos, muitas opções interessantes apareceram, mas preciso me dedicar aquela que vai me fazer ser produtiva e feliz.
Posso até no futuro investir em outros conhecimentos que me deem prazer, mas a hora é de foco. Montar prioridades pra minha vida sem perder de vista meus sonhos, mas estes estipulados a curto, médio e longo prazo.
Logicamente que se eu entro pelo caminho do empreendedor não posso deixar de fazer cursos voltados para isso.
Se voce está na mesma situação que eu, tem sonhos, mas tem medo? Busque ajuda, treinamento, estude. Abra sua mente.
Onde? Atualmente tenho lido muito o site do sebrae, e eles tambem tem cursos online assim tambem como o site do senai.
Para ler: leia a revista Voce S.A. ou leia também o site: Pequenas Empresas Grandes Negócios.
É bom ver gente que deu certo, estimula, põe a gente pra sonhar e ai a gente quer é fazer.
Um comentário que não posso deixar de fazer é em relação ao desenho que escolhi para simbolizar minha postagem. Na hora me identifiquei, por que me lembrei do meu primeiro post aqui - "perdidos e achados". O desenho que simboliza este post é justamente o contrário a este.
Vamos trabalhar!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Em busca de uma recolocação no mercado de trabalho


Quando criei esse blog foi pensando em todas as crises que podemos ter após regressarmos de um País estrangeiro. Muitos conflitos surgem com a mudança, pois a pessoa realmente vivencia um choque cultural.
Nessa podemos incluir principlamente emprego e finanças.
Já escrevi aqui, que um dia parei de brigar com meus caminhos e minha própria história, ja me senti mais achada que perdida, e continuo. O problema ainda pra mim é não conseguir me recolocar no mercado de trabalho.
Passei 6 meses na Inglaterra ano passado e retornei no inicio de 2011.
Eu queria estar aqui, já não me sentia mais fazendo parte daquela terra, embora ame muito aquele lugar.
Hoje me sinto mais feliz aqui, e vejo também que o Brasil está melhorando, oferecendo mais ofertas de trabalho.Pelo menos é o que ouvimos nos noticiários e jornais locais.
Quando voltei pela primeira vez foi no fim de 2007, tive apenas trabalhos temporários e até hoje ainda não consegui me recolocar no mercado de trabalho.
Na verdade penso eu estava muito confiante com toda a experiencia que ganhei lá fora.
Minha formação aqui no Brasil é Psicólogia, mas nos anos em que atuei me dediquei apenas a clinica e algumas acessorias a pré-escolas. Tive uma fase boa de trabalho, e depois percebi que meu ganho foi diminuindo muito, e foi ai que comecei a pensar em mudanças.
Não me arrependo nenhum um pouco, foi uma experiencia e tanto. Tive crescimento profissional, fui desenvolvida, tive excelentes gerentes e pessoas que me ajudaram em minha carreira.
Chego aqui confiante de que teria um bom cargo, pois passei a ser instrutora de treinamento com os cursos que fiz em Londres. Aprendi outra lingua, cheguei a supervisionar restaurante, aprendi a respeitar prioridades em um ambiente de trabalho, e principalmente a valorizar os padrões e regras estabelecidos em uma empresa.
Dessa vez em minha volta, reformulei meu CV, e consegui algumas entrevistas, ainda sem sucesso.
Me preocupo pois vejo o tempo passando e sem respostas.
Tive algumas situações durante entrevistas que me chamaram atenção. Uma foi o despreparo de uma empresa durante sua seleção, divulgaram a vaga no jornal, aliás varias vagas (secretária bilingue, auxiliar administratvo, auxiliar comercial, e RH), e eu enviei meu CV para uma das vagas. Me chamaram pra entrevista, chegando lá, os  entrevistadores com 30 minutos de atraso, 3 pessoas para em entrevistar, e o que eles queriam era uma pessoa que cobrisse todas as funções anunciadas.  Muito perdidos em sua seleção. Na hora pensei em ajudar, mas vi que não seria recompensada por isso. A entrevista levou 1 hora e 30 minutos. Com o passar da entrevista, pensei, sou mais achada que perdida, não quero trabalhar aqui! E um dos entrevistadores ainda comenta: "estamos aqui para ser entrevistados e não para entrevistar".
A outra situação, foi em uma agencia de recrutamento e seleção, já na segunda fase da seleção, para uma empresa grande que vai se instalar em Londrina. 
Tem feito muito calor aqui, e simplesmente, colocaram 10 candidatos e mais duas selecionadoras numa sala, fechada, com janela fechada, e sem ventilação e sem água, durante 3 horas e 30 minutos e de vez em quando a selecionadora bebia sua garrafinha de água.
Já na ultima fase da dinamica eu passava mal, já nã raciocinava mais, pessoas suando, enxugando o suor, já nem entendiamos mais o comando da recrutadora, e quando comentamos com ela sobre a atividade, ainda esnobou, "nossa voces levaram 15 minutos pra chegar a essa conculsão?"
Isso me revoltou tanto, sai de la frustrada e sabia, não tinha conseguido.MAs pensei, se ela age assim, isto é uma cultura interna que ela aprendeu e apenas está devolvendo aos candidatos.
Hoje já penso em ter algum trabalho, mesmo que não seja em minha área, e mudar de carreira, encontrar algo que eu goste de fazer, na verdade já tenho algumas opções, mas devo somar à minha experiencia a um  curso técnico e quem sabe abrir meu proprio negócio.
Mas desanimar, JAMAIS!
Caso voce seja um recrutador, de uma olhada em minha outra pagina aqui mesmo no blog que se chama: o que já andei fazendo.Se voce estiver seguindo este blog ou simplesmente caiu aqui, me deixe sua opinião.


domingo, 20 de fevereiro de 2011

De volta!

Já estou no Brasil há 2 mes e meio.
Dessa vez não foi tão dificil voltar, eu até queria! Dessa vez eu senti falta de casa.
Meu tempo na Inglaterra dessa vez foi curto, mas também foi programado.
Eu poderia ter voltado aqui no " Perdidos e Achados", afinal fiquei ausente 6 meses.
Alguns motivos me impediram de vir. O principal foi literalmente perder algumas fotos que tirei em Londres, por conta da formatação de meu computador, pois em Falmouth, onde estive morando, tive problemas com meu windows e achando que eu tinha salvo tudo em um pen drive, perdi tudo, ficaram os slides do trip advisor, mas pra mim não é a mesma coisa.
Então passei por um periodo de luto pelas minhas fotos.
Essas fotos pra mim eram muito importantes. Passei umas duas semanas em Londres tirando fotos e revendo alguns amigos.
Confesso que me emocionei muito andando pelas ruas de Londres, fazendo turismo como eu nunca havia feito antes.Big Ben, Trafagal Square, London Eye, Oxford Street,... E olha que ja havia morado lá por quase 8 anos, mas nunca andei como turista, sempre como estrangeira, mas sem o olhar atento. Admirava e tudo, mas sem a preocupação da foto.
Nesses 6 meses de Inglaterra, não me senti tentada a ficar. Senti muita falta do Brasil.
Convivi com minhas irmãs e sobrinhos, que ainda não conhecia, e que bom, fiz novos amigos.
Londres pra mim vai ficar como minha segunda casa, amo aquela cidade, amei o estilo de vida que tive nos anos em que la vivi, mas a preferência sempre será do número 1, a casa da gente, e no meu caso - Londrina - Paraná - Brasil!